banner

Histórico

       O Programa de Pós-Graduação em Patologia, da UFC, foi criado em 1991 e possui as seguintes linhas de pesquisa: Doenças infecto-parasitárias e Oncologia. Tem como objetivos: 1 - formar docentes e pesquisadores na área de saúde; 2 - desenvolver habilidades para formação de grupos de pesquisa. 3 - desenvolver pesquisa com enfoque em alterações morfológicas, mecanismos patogênicos, resposta imune, diagnóstico, terapêutica e transmissão das doenças infectoparasitárias e neoplásicas. Propõe-se a atender a demanda do Norte, Nordeste e Centro-oeste.


        No triênio de 2004-2006, o curso caiu no seu desempenho, recebendo o conceito 3 (três), na avaliação da CAPES. Em 2007, unindo esforços do colegiado do Curso e da Administração Superior da UFC, foi possível iniciar o projeto de recuperação da Pós-graduação em Patologia. Este projeto teve, durante todo o período de sua implementação, o acompanhamento de coordenadores de área da CAPES.
Como resultados deste esforço coletivo, tanto do colegiado do curso como da Administração Superior da UFC, ocorreram mudanças estruturais e organizacionais, com ampla repercussão na dinâmica do curso; Entre elas, podemos citar:


a) a ampla reforma da estrutura física do prédio e aquisição de equipamentos, com grande melhoria nas instalações das salas de aulas, dos laboratórios, tanto da pesquisa, como da extensão, dos gabinetes dos professores, no biotério de pequenos animais e na sala de necrópsia, que atualmente possui estrutura para filmagem das necropsias;


b) o recredenciamento da Residência Médica em Patologia, em fevereiro de 2010;


c) a adoção da avaliação periódica dos professores, com descredenciamento/recredenciamento sistemáticos.
Tudo isto tem dado uma nova vitalidade ao corpo docente, que aliado ao novo perfil do pós-graduando, mais cobrado e mais dedicado, vem dando novo impulso ao Curso de Patologia. Isto tem representado uma perspectiva importante para o fortalecimento do Curso, qualificando profissionais para suprir uma carência importante da região, tanto para a prática docente, como diagnosticista; Como resultado, podemos citar a melhora no fluxo dos alunos. Merece destaque, também, a melhoria na qualidade das dissertações, o aumento da produção científica vinculada ao aluno e na qualidade das publicações.
Completando as metas do projeto de recuperação, em 2013 foi iniciado o Doutorado Interinstitucional em Medicina Tropical (DINTER) FIOCRUZ-IOC/UFC, que culminará com a criação do Doutorado em Patologia da UFC, nestes próximos anos.


          Em 2008, foram entrevistados 69 dos egressos, e 40 (58%) estão vinculados a universidades públicas e privadas, professores de cursos de pós-graduação, responsáveis por chefias de laboratórios de pesquisa no Estado do Ceará ou em outros Estados, um deles na Organização Pan-americana de Saúde. Ao longo destes anos, os objetivos do curso têm sido alcançados.

          No quadriênio 2013-2016 tivemos um crescimento significativo tanto qualitativo quanto quantitativo na nossa produção científica.